quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

LOTEROFILIA - O ENCANTO DAS FRAÇÕES LOTÉRICAS


Cada colecionador reserva um gosto todo especial. Ao longo de 30 anos escrevendo sobre coleções em geral, mais precisamente à filatelia, tive a oportunidade de deparar com colecionadores de cartões-postais, estampas Eucalol, moedas, cédulas, cachimbos, placas de veículos, cardápios de restaurantes, selos fiscais, embalagens de cigarros e entre tantos outros objetos, os bilhetes de loterias. Se bem recordo, por volta de 1982 recebi uma carta de um loterofilista apaixonado, que na época pedia divulgação do seu hobie em minha coluna de filatelia então publicada no Jornal Curitiba Shopping e pouco mais adiante no Jornal do Estado.
Este colecionador que infelizmente já nos deixou era Jamil Roll do Amaral cuja existência, entre seus afazeres de praxe, detinha todo o tempo disponível para reunir seus bilhetes e ir buscá-los nos pontos mais distantes, de modo que conseguiu formar uma maravilhosa coleção, detendo inclusive peças de extrema raridade.
Naqueles tempos, divulguei muito esta arte e até passei a colecionar também afinal; a exemplo dos selos, os bilhetes lotéricos também promovem a nossa arte, a nossa cultura e os nossos costumes. Nestas frações que carregam os sonhos de se ficar milionário da noite para o dia, vamos encontrar muitos temas interessantes, que passam pelas aves, a música, personagens da história, animais diversos, futebol entre tantos outros.
No Brasil a loterofilia não conseguiu firmar-se como em outros países, embora se tenham feito tentativas de todos os tipos para incrementar o colecionismo de frações lotéricas. Até a própria Caixa Econômica Federal teve um instante de brilho que, não fosse a própria burocracia, teria impulsionado a arte. Dessa maneira, a nossa loterofilia ficou mesmo navegando sob o comando de um grupo de apaixonados espalhados de norte a sul do país. Dentre tantos, vamos encontrar Sylvio Luongo, empresário do ramo lotérico cuja Casa Luongo vem funcionando há muitos anos e isso o levou também a criar subsídios para divulgar esta arte com direito a impressão de álbum e portal exclusivo sobre o assunto na internet.
Atualmente Luongo preside a Alesp-Associação dos Lotéricos do Estado de São Paulo, é secretário da Fenal e diretor do Jornal de Loterofilia além é claro, de suas atividades à frente da empresa que dirige.
Apaixonadíssimo pelos bilhetes, Luongo detém peças raras e significativas dentro do nosso contexto histórico conforme vocês podem observar nas ilustrações.
Em princípio, você que é leigo no assunto pode achar isso tudo uma perca de tempo, pois os bilhetes premiados são trocados pelo portador pelo prêmio nele estampado e os demais vão diretamente para o lixo. Além disso,
você também pode achar um péssimo investimento porque os bilhetes de loteria não possuem um catálogo especializado e, portanto, dificilmente vão ter um valor de revenda. Isso se baseando na pressima de que “bilhete corrido não vale nada”. Mas o colecionismo dos bilhetes tem justamente neste aspecto algumas vantagens: você nem precisa comprar bilhetes para concorrer e depois colecionar caso não sejam premiados. Basta uma passadela pelas lojas de loterias e pronto, lá vão estar, ainda que na lixeira, muitos exemplares. Se você fizer amizade com o pessoal da casa, eles até guardam pra você algumas peças. Além disso, existem muitos colecionadores interessados em fazer trocas e este intercâmbio amplia o seu circulo de amigos e acaba trazendo às suas mãos muitas peças de rara beleza e muito significativas também.
Temos que pensar em loterofilia apenas como um salutar passatempo que ajuda, assim como o selo postal, a ampliar nossos conhecimentos. Podemos dizer que os bilhetes são “figurinhas numeradas” que dão um toque todo especial ao álbum. Além disso, iremos encontrar muitas séries da Loteria Federal voltadas para temas diversos ou então, frações que foram impressas com erros os mais diversos ou ainda, bilhetes com números curiosos, como por exemplo, 00.001 ou 55.555 e por ai em diante. Existem algumas peças raras que na hora da confecção foram assinaladas erroneamente, como um bilhete da loteria do Estado de São Paulo que numa ocasião, há muitos anos, prestava homenagem ao Dia da Bandeira, em sua ilustração, mas na referência escrita fazia alusão à Proclamação da República. Como se observa, a loterofilia tem suas particularidades, é um hobie barato, ajuda a passar o tempo e funciona também como uma incomparável terapia, que pode ser praticada por pessoas de todas as idades.
Se você já coleciona, sabe muito
bem como funciona e se você ficou interessado, basta dar o primeiro passo
e seguir adiante. Aconselho todos vocês, independente de colecionar ou não, a visitar o portal: www.loterofilia.com.br - lá, nosso amigo Sylvio Luongo oferece todo um panorama sobre esta salutar arte e pode atender suas dúvidas através do e-mail: sylviol@casaluongo.com.br – e loterofilistas espalhados pelo Brasil que detenham bilhetes e frações em duplicata podem fazer boas trocar com o Sylvio.
Ajudem a divulgar a loterofilia e se você for professor, leve sem medo para a sala de aula, explicando aos seus alunos que, não se trata apenas de um jogo, mas de uma grande oportunidade de se aprender muito a respeito da nossa própria história. (P.B.J)
*Todas as presentes ilustrações foram gentilmente cedidas pelo Sylvio Luongo.
O Jornal do Colecionador prontamente agradece pelo apoio.

12 comentários:

Anônimo disse...

OLá Caro Amigo Syvio da uma olhadinha no meu blog ok...

http://ofederaljornaldocolecionador.blogspot.com/

Anônimo disse...

PARABENS PELA MATÉRIA FEITA, ASSIM
COMO OUTRAS QUE ACOMPANHO SOBRE
FILATELIA......SDS.....J.RODRIGUES

Anônimo disse...

Tenho um bilhete de loteria extração 10 de janeiro de 1925 , os dez pedaços em perfeito estado , gostaria de negociar.

telefone para contato - 11 96469005

marcelo pompiani

Anônimo disse...

ola, amigos, escribo desde España y gustaría intercambiar loteria de su pais por española. Si estás interesado escribir a jfgt@telefonica.net

Anônimo disse...

Ola , queria saber se tem interesse no primeiro bilhete da extracao paulista ( 13/02/1987) e no ultimo bilhete ( 20/02/2009) sendo que coencidente os mesmos numeros ????
numero: 22567 e 62567

muito obrigado pela atencao
paulojambi@hotmail.com

Waldir Rueda disse...

Olá. Por favor. O sr. sabe o ano que iniciou a história dos bilhetes no Brasil? Grato e parabéns pela página. Waldir Rueda

Waldir Rueda disse...

Olá. Por favor o sr. sabe quando iniciou a venda de bilhetes no Brasil.
Grato e parebéns pela página. Waldir Rueda

Anônimo disse...

Olá Sylvio, parabéns pelo artigo. Temos um site voltado exclusivamente para anúncios grátis de coleções, antiguidades e objetos raros, e recentemente incluímos a área de Loterofilia. Gostaríamos, se o Sr. nos autorizar, de replicar o seu artigo, que obviamente terá todos os créditos autorais e referências citadas para o Jornal do Colecionador.
Obrigado e mais uma vez parabéns!
Equipe VelhosTempos.com.br
atendimento@velhostempos.com.br
www.velhostempos.com.br

FAMILIA QUERIDO disse...

Bom Dia! gostaria muito de obter informações sobre os bilhetes antigo da loteria federal, encontrei nos documentos de meu avô um bilhete de 05/12/1927 Loteria da Capital federal 27oª Extracção 3ª do Plano 40 no valor de 20 Contos Bilhete Nº 19614 de quem um figura de um Leão na Estampa - E tem o seguinte dizer "Compre Loterias Nacionaes do Brasil" esse bilhete tem algum valor e esta é bom estado de conservação. e no verso tem um selo de 100 reis. Grato

Cláudio Querido - Cunha/SP

FAMILIA QUERIDO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Palavras Lidas disse...

Olá caro amigo.
Sou Português e tenho bastantes bilhetes de lotaria (Portuguesas),para troca. Gostaria de saber se existe, por aí, alguém interessado em fazer troca.
caso afirmativo contactar: mercador@live.com.pt

Sem outro assunto, com um abraço de estima.

António Patrício

jose carlos loiola disse...

Bom dia
Faço coleção temática sobre presidentes do Brasil. Gostaria de saber como conseguir bilhetes lotéricos sobre os mesmos. Aguardo contato.
Grato
Jose´Carlos Loiola- jc-loiola@uol.com.br