quinta-feira, 17 de julho de 2008

FILATELIA BRASILEIRA NA SALA DE ESPERA




Em 1979 comecei a escrever sobre filatelia motivado por um outro jornalista filatélico radicado na cidade paranaense de Castro. O Dirceu Teixeira de Lima sempre foi um “fuçador” no que diz respeito em divulgar o selo postal e naquela época, buscava espaços em jornais e revistas. Um belo dia, chegou uma cartinha do Dirceu às minhas mãos cogitando se o Jornal dos Bairros, onde eu trabalhava como redator, poderia ceder uma coluna filatélica. Ele foi prontamente atendido e à cada semana, seus artigos iam me despertando maior interesse afinal, eu já colecionava selos postais como simples passatempo. O Jornal do Bairros fechou e ficamos, o Dirceu e na busca de outros veículos. Foi assim que comecei a me dedicar ao jornalismo filatélico e nunca mais parei. Tive a chance de escrever para a Revista Panorama, Semana na TV, Jornal Curitiba Shopping, Revista Paranaense dos Municípios, Jornal do Estado e de 1992 até o início deste ano, no Jornal O Estado do Paraná, onde consegui se agraciado com 16 medalhas em diversas exposições. Os prêmios foram de certo modo um reconhecimento por este trabalho em prol da cultura e sempre a titulo de colaboração. Seria impossível hoje abandonar esta atividade que considero tão salutar e que muito me ajudou na ampliação dos meus conhecimentos.
Em praticamente três décadas, tive públicos infanto-juvenis bem distintos. Muitos se tornaram adultos e seguem colecionando selos. Outros abandonaram a idéia em razão dos caminhos escolhidos. De toda forma, sinto orgulho em ter participado direta ou indiretamente desses períodos maravilhosos que me levaram a acreditar nas crianças e nos jovens através desses fragmentos coloridos chamados de selos postais.
Algumas escolas me deram a honra de usar a página dominical durante longo período em sala de aula, incentivando a filatelia e mostrando que é possível aprender muito através do ato de colecionar.
No próximo dia 1º de Agosto vamos comemorar o Dia do Selo Postal Brasileiro, assim escolhido porque foi em 1º de agosto de 1843 que o Brasil colocou em circulação os seus primeiros selos postais então denominados de “Olhos-de-Boi” e que integram a galeria das peças mais raras e valiosas da filatelia mundial.
O motivo dessas linhas hoje, é para assinalar também a minha insatisfação com os Correios no tangente à filatelia. Não que a empresa a tenha esquecido por completo, mas me parece que nos dias de hoje, a emissão de selos é feita apenas para se manter a tradição e logicamente para que se possa postar cartas. Muito do que já se fez em termos filatélicos pelos Correios ficou esquecido no tempo. É bom salientar que os Correios, através de sua Divisão Filatélica edita há anos uma das melhores revistas do gênero no mundo no entanto, a Cofi – Correio Filatélico, que era editada mensalmente, passou a circular de maneira completamente sem sentido. Estamos em julho de 2008 e ainda não apareceu a primeira edição deste ano. Quando circula a revista praticamente todo o conteúdo já caducou. Será que ninguém lá nos Correios atenta para o fato?
Da mesma maneira, o site dos Correios acaba dificultando àqueles que o visitam para ver o que existe de novo em selos postais. Fico imaginando estrangeiros que adentrem no portal. Dificilmente encontram os selos emitidos recentemente. O pior, é que a página de novas emissões está lá no mês de maio ou seja; de lá para cá, ninguém se prestou em atualizar as emissões. E a greve começou há poucos dias, o que não justifica este descaso. Para finalizar, pergunto: alguém ai lembra qual foi a última vez em que os Correios ganharam um Prêmio Aziago de Arte Filatélica?

3 comentários:

Renata disse...

Prezado Sr. Pedro Brasil Jr.,

Em relação ao texto "Filatelia Brasileira na Sala de Espera", publicado em seu blog http://jornaldocolecionador.blogspot.com/ , em 17 de julho de 2008, prestamos os seguintes esclarecimentos:

a) As emissões de selos desta Empresa são orientadas pelas recomendações da Portaria 500/2005, do Ministério das Comunicações, e a escolha dos temas/motivos dos selos é feita pela Comissão Filatélica Nacional, que se reúne no terceiro trimestre de cada ano para definir a programação de selos do ano subseqüente. Além de contemplar temas e motivos do interesse dos próprios filatelistas, temos ciência da importância das peças filatélicas como patrimônio cultural de valor inestimável para a humanidade, o que pode ser demonstrado por diversas emissões de inegável qualidade estética lançada nos últimos anos.

b) A Revista COFI passou a ser trimestral desde 2004. Em vista de uma série de contratempos houve atraso na editoração e distribuição das edições deste ano, que nos impediram de colocá-la em circulação. No mês passado veiculamos a edição 209, referente ao primeiro trimestre, e já estamos trabalhando para disponibilizar a edição 210.

c) Temos nos esforçado para manter o site dos Correios atualizado, no entanto, devido ao volume de demandas à área de tecnologia, encontramos dificuldades que devem ser regularizadas brevemente.

d) Os Correios foram homenageados várias vezes com o Prêmio Internacional Aziago de Arte Filatélica, sendo que a última vez foi em 2000, com a quadra de selos “Parques Nacionais – Prevenção a Incêndios Florestais”. Depois disto, fomos agraciados com outros prêmios internacionais de grande importância, entre eles: o Melhor Selo Múltiplo da 9th Governament Postage Stamp Printers Conference – Philakorea – 2002, com a cartela de selos "Pantanal – Fauna e Flora"; o Melhor Selo de 2002 - Malásia, pela emissão "Campeões do Mundo de Futebol do Século 20”; o Troféu Yehudi Menuhin 2002 – Inglaterra, com a Série de Selos “Instrumentos Musicais”; o Melhor Selo Estrangeiro 2003 – China, com a Emissão "Ecossistemas de Recifes Coralíneos" e o Melhor Selo Estrangeiro 2006 – China, com o Bloco Comemorativo Piracema – Processo de Reprodução dos Peixes.

e) A Revista COFI também já foi reconhecida com a Medalha Vermeil – EXTREMOZ 2005 – Portugal - I Exposição Nacional de Literatura Filatélica.

Agradecemos as suas críticas e o seu interesse pela Filatelia e reafirmamos nossos interesse de, independente de todas as dificuldades do presente momento, prestar um serviço cada vez melhor no que se refere ao assunto.

Departamento de Filatelia e Produtos – CORREIOS

Idéia Informática Ltda. disse...

Coleção quase completa da Revista COFI, guardadas com todo carinho ao longo dos anos, mas que preciso me dispor porque meus herdeiros não teem interesse em mantê-las.


São 181 revistas, só faltam as de nº 1, 2, 4, 6, 72, 74, 97, 98, 143, 145, 146, 147, 148, 149, 150, 151, 152, 166, 168, 172, 187, 188, 189, 191, 192, 193, 194, 195, 197, 198, 200 e 211.


Excelente oportunidade para todos os filatelistas, principalmente para os iniciantes, que poderão conhecer todas as particularidades dos selos, em especial os brasileiros, mas com informações também da filatelia pelo mundo, incluindo os principais lançamentos.

Elas mostram os selos pelos acontecimentos da época de lançamento da revista e também através da história.

Veja na foto a capa da edição número 3.

Aproveite a oportunidade !!!

Apenas R$ 1.000,00 por tudo isto, entre em contato no endereço dtiburcio@gmail.com.

ritadecassia disse...

Pedro Brasil Jr,eu estava navegando pela internet, quando, por um desses acasos do destino, encontrei o seu site, onde você citava Dirceu Teixeira Lima. Ficaria grata se você me contatasse com esse amigo que perdi o contato no início dos anos sessenta. Sou Rita de Cássia Amorim Andrade, escritora, residente em Teresina-PI - ramorimandrade@bol.com.br / www.ritissima.com.br